Goof Troop: Análise sobre o jogo

Aqui temos um clássico dos consoles, lançado em 1993 Goof Troop, ou turma do Pateta aqui no Brasil, um dos jogos mais populares entre os amantes do querido Super Nintendo. Esse game é desenvolvido pela Capcom, com produção do também lendário Shinji Mikami, produtor de sucessos como a franquia de terror Resident Evil.

Goof Troop se baseia na sua série televisiva de mesmo nome, sendo assim temos o nosso simpático Pateta (Goofy) e o seu filho Max como protagonistas, aqui já temos algo revolucionário para a época. É possível jogar com dois players em um modo cooperativo totalmente funcional até os dias de hoje.

Clássico de 1993, até hoje amado pelos fãs (Foto: Internet)

Infelizmente, até mesmo pela limitação de sua época, o game é finalizado com no máximo 2 horas, fica o gostinho de quero mais. Por algum motivo desconhecido, esse game nunca recebeu uma continuação, mesmo sendo talvez o título de maior sucesso da Disney quando se aventurou nos Games para Super Nintendo.

No jogo você é desafiado constantemente, frente aos diversos quebra-cabeças, sabe o ditado que duas cabeças pensam melhor do que uma, aqui comprovamos isso, a experiência do game é muito melhor no modo multiplayer, mas também é diversão garantida para os jogadores mais solitários.

Áudio e gráficos

Goof Toop nos apresenta uma técnica chama de Sky Vision, no nosso português algo como visão do céu, essa câmera consegue proporcionar dinamismo, beleza e diversão. Mesmo com gráficos simplistas, a produção caprichou nos seus desenhos, seguindo bem a estética que já era apresentada por sua série de Tv.

O jogo é muito iluminado, os cenários sempre nos cativam por serem coloridos. Para deixar os cenários ainda mais vivos, foram adicionados alguns elementos com ondas, peixes que pulam para fora da água. Tudo isso é pensado para que o ambiente se torne mais vivo. As roupas dos personagens também chamam atenção, cada elemento desenhado no estilo cartoon e com texturas sempre coerentes com o visual.

Goof Troop tem um dos melhores modos cooperativo da história (Foto: Internet)

A trilha sonora desse jogo é incrível, inclusive algo comum aos jogos de Super Nintendo. As músicas de fundo, sempre ajudam a incrementar a experiência, elas trazem emoção ao momento certo, mas também conforto aos lugares mais tranquilos. Cada nível, possui sua própria trilha, esses fundos musicais estão na cabeça dos fãs até hoje.

Seguindo o estilo cartoon, os efeitos sonoros também são divertidos, todos os elementos são muito eficientes, com exceção do grito dos personagens, por algum motivo foram retirados e no lugar entrou um som bem agudo, nada que interfira no jogo. Os efeitos In game, são totalmente sincronizados com a ação dos personagens. Goof Troop equilibram perfeitamente a relação Audiovisual.

Leia Também:

Assassin’s Creed Revelations: análise sobre o jogo

Assassin’s Creed 4 Black Flag: análise sobre o jogo

Gameplay

Se distanciando dos jogos da época, que por sinal eram dominados por jogos de plataforma bem semelhantes, a pareceria Capcom e Disney dominou boa parte da década de 90. Porém, com Goof Troop os desenvolvedores decidiram que o jogador teria uma experiência de mais liberdade.

Logo de cara, já é possível escolher entre os dois personagens jogáveis: Pateta ou Max. Pateta consegue derrotar os inimigos mais facilmente, por ser maior e mais forte, porém Max é muito mais ágil e consegue fugir dos rivais com facilidade.

A possibilidade de escolher entre dois personagens deu certo e foi utilizada em outros jogos, como o próprio Resident Evil de Shinji Mikami.

É possível escolher com quais personagens jogar (Foto: internet)

O game todo se apoia em uma premissa bem básica, derrotar ou fugir de inimigos, coletar itens, e resolver os inúmeros quebra-cabeças, tendo no fim de cada fase um chefe para ser enfrentado. Os equipamentos que são acumulados pelos personagens são necessários para avançar por algumas fases.

No modo multiplayer é possível carregar um item com personagem, já no modo solo o personagem leva até dois equipamentos. Várias são as possibilidades de itens, como tábuas, chaves e um Hookshot, um instrumento que pode ser usado para alcançar itens e atrapalhar inimigos a distância. A pá serve para cavar tesouros em locais específicos.

Game ou desenho animado?

Ao decorrer do jogo, nos divertimos como quando assistimos a série de Tv, acompanhamos mais uma vez o vilão Bafo tentando enganar os nossos heróis. Com os puzzles presentes no game nos sentimos ainda mais parte daquela narrativa e torcemos como nunca para os carismáticos Pateta e Max.

Goof Troop um desenho animado que virou game (Foto: Internet)

Como exemplo de outros games da época, como Sonic The Hedgehog, o jogo é bem pequeno, sem a opção de save, mas você pode continuar de onde parou usando os passwords. Não é possível esperar um enredo super desenvolvido, mas esse descompromisso torna ainda mais divertido o tempo que passamos ao lado dos personagens.

Conclusão

Goof Troop estarão na lista da maioria dos jogadores mais saudosistas. Mesmo sendo um game relativamente fácil e com pouca duração, vale a pena investir um pouco do seu tempo e ter essa experiência de diversão. Para os amantes de puzzles, ou aqueles que tem um grande senso de cooperação, vão amar ainda mais esse game. Um clássico que ajudou a construir a história dos consoles.